o AMOR CUIDA

quarta-feira, junho 1, 2016

6tag_310516-123359'.jpg

O amor cura.

Anúncios

sEGUNDA PELE

quinta-feira, outubro 9, 2014

Eu estava quieta. Estive quieta esse tempo todo, você sabe. Pintei as paredes, mudei os móveis de lugar, fiz faxina em todos os órgãos do meu corpo. Lavei com água e sabão o meu pobre coração. Tentei me distrair com o tempo e a distância, fingindo para os meus próprios olhos que eu já não via o seu reflexo quando me via do outro lado do espelho. Tentei, em vão, te esquecer por entre os livros velhos naquela velha prateleira. Eu tentei, você sabe. E consegui. Mas as digitais… As digitais e a sensação da sua pele nelas é o que permanece, é o que arrepia, é o que atordoa e faz virem à tona lembranças, pensamentos, sussurros de saudades… Você em mim.

Um dia nublado, o frio lá fora, cobertor no chão, seu corpo no meu.
Silêncio na cidade, barulho longe de sirene, amanhã já termina o feriado (?), seu corpo no meu.
Seu coração no meu.
Só meu.

sEM MAIS

quarta-feira, janeiro 8, 2014

LIVROCEMSONETOS

 

 

 

[Cem sonetos de amor, Pablo Neruda]

 

eU NÃO SEI MAIS ESCREVER SOBRE O AMOR

segunda-feira, dezembro 9, 2013

Show de Marisa Monte, 3 de dezembro de 2013, em João Pessoa

Marisa Monte, 3 de dezembro de 2013, em João Pessoa

Eu posso te fazer feliz,
Feliz, me sentir também.
Eu posso te fazer tão bem,
Eu sei, isso eu faço bem.
Roubar-te um beijo no salão,
Girar sem perder o chão,
Não vou deixar você cair,
Cintura, leve a minha mão.

Verdade, uma ilusão,
Vinda do coração.
Verdade, seu nome é mentira.

Eu posso te fazer ouvir
Milhões de sinos ao redor,
Eu posso te fazer canções,
O amor soa em minha voz.
Eu posso te fazer sorrir,
Meus olhos brilham para ti.
E os pés já sabem onde ir,
Ninguém precisa decidir.

Verdade, uma ilusão,
Vinda do coração.
Verdade, seu nome é mentira.

[Verdade, uma ilusão – Marisa Monte]

aRIANA

terça-feira, outubro 22, 2013

aH, O AMOR…

segunda-feira, setembro 23, 2013

Uma coisa é certa: o amor nunca esquece de acontecer.
Ele está em tudo e em todos os lugares, esperando a hora certa pra se revelar, para reforçar sua presença, para pedir mais uma chance, para dá-la.

O amor é calmaria, é o vento leve depois da tempestade, é a brisa que bate de mansinho na pele da gente nos dias de calor.
Ele cura qualquer ferida, nos dá força e fé, nos faz ver o passado com carinho e crer no futuro com esperança.

O amor espera, te espera. Basta deixá-lo se mostrar, sem máscaras, sem medo, sem rancor.
De leve, sem fazer alarde, na ponta dos pés, sem fazer barulho, sem julgar ou agredir.

O amor é carinho, colo, compreensão.

O amor aquece, encoraja, liberta.
Ele está batendo a porta, ele pula muros, ele pede pra entrar sem exigir.  E ele entra, se você assim o permitir.

Permita[-se].

pRESENTE-FUTURO

quinta-feira, setembro 19, 2013

“És um senhor tão bonito,
Quanto a cara do meu filho,
Tempo, tempo, tempo, tempo,
Vou te fazer um pedido:
Tempo, tempo, tempo, tempo…”

 

[Oração ao tempo – Caetano Veloso]

“mEU AMOR, CUIDADO NA ESTRADA…”

quinta-feira, agosto 15, 2013

Eu rasguei todas as fotos, cuidadosamente, com carinho, com dor, uma a uma. Vi o momento estampado no papel, me transportei no tempo, vivi tudo aquilo mais uma vez, e chorei.
Senti que era hora de me despedir, não por não sentir mais amor, mas por saber que já não fazia sentido aquelas fotos amarelando na minha porta. As portas se fecharam para nosso futuro, e o que restou? Pedaços de fotos no chão, lágrimas e saudade.
Saudade do que foi bonito, da pureza, das caminhadas, do vento no rosto, dos beijos inesperados, das mãos dadas e da fé infinita em nós.
Saudade dos planos que nunca se realizarão, das viagens que nunca faremos, dos saltos de paraquedas que nunca daremos, da casa que nunca será comprada, dos pratos e receitas que nunca serão preparados, dos passeios de bicicleta que nunca se concretizarão, das crianças que nunca correrão no jardim, do jardim.
Eu via seu rosto naquelas fotos, imaginava tudo de bonito que vivemos, sentia meu coração aquecer, porque ver o seu sorriso quando olhava para o teto e imaginava seus sonhos e planos era como ver estrelas cadentes explodindo no céu. Mas eu prometo, sempre que eu vir uma estrela cadente, vou fazer um pedido para que Deus esteja cuidando bem de você.
Rasgar as fotos foi um ato impiedoso, mas também de salvação das nossas lembranças. Eu o fiz com a suavidade de quem ama, mas a pressa de quem sabe que não tem mais tempo. Agora não as tenho mais impressas, mas estão todas salvas na minha memória, em diversos pedaços, que eu posso montar como um quebra cabeça, com cuidado, com jeito, com carinho, igual eu fazia quando arrumava o lençol no seu rosto para que não se incomodasse com a claridade do sol de manhã.

Haviam pedaços das nossas fotos no chão, e eu também estava lá, com eles, despedaçada.

Foi o momento em que eu mais te amei na vida. Foi o momento em que eu me libertei.

“tEM DÓ, PEQUENININHA”

sexta-feira, agosto 9, 2013

bruemalu
“…Mas quando a gente se vê,
É uma alegria sem fim.
A gente pega a saudade,
E manda ao longe assim.”

[Trio Virgulino]

pRETA

segunda-feira, agosto 5, 2013

maluu

“Eu sei que o tempo anda difícil,
E a vida tropeçando,
Mas se a gente vai juntinho,
Vai bem…”

[Mallu Magalhães]

segunda-feira, julho 29, 2013

 

 

 

 

 

“Ainda que eu falasse a língua dos homens,
E falasse a língua dos anjos,
Sem amor, eu nada seria…”

[Legião Urbana]

“àS CAUSAS PERDIDAS”

sexta-feira, julho 19, 2013

eh

oRAÇÃO

quarta-feira, julho 17, 2013

Alivia minha alma, faze com que eu sinta que Tua mão está dada à minha, faze com que eu sinta que a morte não existe porque na verdade já estamos na eternidade, faze com que eu sinta que amar é não morrer, que a entrega de si mesmo não significa a morte e sim a vida, faze com que eu sinta uma alegria modesta e diária, faze com que eu não Te indague demais, porque a resposta seria tão misteriosa quanto a pergunta, faze com que eu receba o mundo sem medo, pois para esse mundo incompreensível nós fomos criados e nós mesmos também incompreensíveis, então é que há uma conexão entre esse mistério do mundo e o nosso, mas essa conexão não é clara para nós enquanto quisermos entendê-la, abençoa-me para que eu viva com alegria o pão que como, o sono que durmo, faze com que eu tenha caridade e paciência comigo mesma, amém.

(LISPECTOR, Clarice. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres, pág. 112.)

yOU WILL SHELTER ME, MY LOVE

segunda-feira, abril 22, 2013

dEPOIS DAS DEZ

sexta-feira, abril 12, 2013

“Diga até mais, mesmo se for adeus.”

Engenheiros do Hawaii

dEMORANDO

sábado, janeiro 19, 2013

Você acendeu as luzes da minha vida. Tudo fica mais iluminado cada vez que você aparece, e eu volto a pensar que estou tendo problemas com a claridade, porque meus olhos doem… Luzes queimadas, cortinas fechadas, nada resiste por muito tempo ao seu brilho.  Doem meus ossos, dói meu coração. De saudade, de vontade, de você.

(:

quinta-feira, janeiro 17, 2013

nÃO ME FALTE

segunda-feira, janeiro 7, 2013

Ainda posso ouvir seus passos.
Ainda sinto o cheiro do seu sorriso e o calor da sua voz.
Ainda vejo você, sinto você, beijo você, amo você, espero você,

 

<3

 

todos os dias, em mim.

e FOI POR AMOR

terça-feira, dezembro 18, 2012

Foi só um sorriso e foi por amor,
Nenhuma ironia, não foi por mal.
Foi quase uma senha pra te tocar,
Nem foi um sorriso, foi um sinal.

Por trás das palavras, da raiva, de tudo,
Sorri pra tentar chegar em você.
Foi como fugir pra nos proteger,
Enquanto eu sorrir ainda posso esquecer.

Quem vai te abraçar?
Me fala, quem vai te socorrer?
Quando chover e acabar a luz,
Pra quem você vai correr?
E quem vai me levar,
Entre as estrelas, quem vai fazer,
Toda manhã me cobrir de luz,
Quem, além de você?

Ninguém tem razão, tenta me entender,
E a gente é maior que qualquer razão.
Foi só um sorriso e foi por amor,
Te juro do fundo do coração.

Foi como tentar parar esse trem,
Com flores no trilho e acenar pra você,
Parece absurdo, eu sei, mas tentei,
Enquanto eu sorrir ainda posso esquecer.

Deixa isso passar, e quando passar,
Vou estar aqui te esperando.
Pra te receber,
E sorrir feliz, dessa vez,
Que esse amor é tanto.

Quem vai te abraçar?
Me fala, quem vai te socorrer?
Quando chover e acabar a luz,
Pra quem você vai correr?
E quem vai me levar
Entre as estrelas, quem vai fazer,
Toda manhã me cobrir de luz,
Quem, além de você?
Quem, além de você?

aPENAS O SILÊNCIO

segunda-feira, dezembro 17, 2012

Querido,

Tenho certeza de que estou enlouquecendo de novo.
Sinto que não podemos passar por outra daquelas
terríveis fases. E desta vez não ficarei curada.
Começo a ouvir vozes, e não posso me concentrar.
Assim, estou fazendo o que me parece melhor.
Você me deu a maior felicidade possível. Não creio
que duas pessoas pudessem ser mais felizes até
chegar esta doença terrível. Não consigo mais lutar.
Sei que estou estragando a sua vida e que sem
mim você poderá trabalhar. E você vai, eu sei. Está
vendo, nem consigo mais escrever adequadamente.
Não consigo ler. O que quero dizer é que devo a você
toda a felicidade da minha vida. Você foi absolutamente
paciente comigo e incrivelmente bom. Quero dizer isso —
e todo mundo sabe. Se alguém pudesse me salvar, teria
sido você. Perdi tudo, menos a certeza da sua bondade.
Não posso mais continuar estragando sua vida. Não creio
que duas pessoas tenham sido mais felizes do que nós fomos.

[Carta de Virginia Woolf a seu amado Leonard Woolf]

sEMPRE

sexta-feira, dezembro 7, 2012

Ninguém vive de amor.
Ninguém morre de amor.
O amor não exige nenhum verbo.
O amor não exige.

O amor liberta.

Ninguém mata por amor.
Há quem viva por amor.
O amor não é desculpa, pede desculpa.
O amor não procura causa, é consequência.

O amor liberta.

O amor é casa.
O amor não marca hora.
O amor adora se mostrar.
O amor dá seus sinais.

O amor liberta.

sABEMOS

segunda-feira, novembro 26, 2012

Você sabe quando duas pessoas se pertencem.

[Trecho do filme Feast of love, Banquete do amor].

sÓ PRA MIM

sábado, novembro 24, 2012

fALANDO DE AMOR

sábado, novembro 24, 2012

Às vezes, digito seu nome antes mesmo de pensar em você.

Minhas mãos me denunciam, são ágeis.

Até seguem a orientação do pensamento,

mas primeiro, a do coração.

hÁ DE VIR

sábado, novembro 24, 2012

Eu quis te conhecer, mas tenho que aceitar
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá.
Pode ser cruel a eternidade,
Eu ando em frente por sentir vontade.

Eu quis te convencer, mas chega de insistir,
Caberá ao nosso amor o que há de vir.
Pode ser a eternidade má,
Caminho em frente pra sentir saudade.

Paper clips and crayons in my bed,
Everybody thinks that I am sad,
I’ll take a ride in melodies and bees and birds.
Will hear my words,
Will be both us and you and them together.

I can forget about myself,
Trying to be everybody else,
I feel alright that we can go away,
And please my day
I’ll let you stay with me if you surrender.

Eu quis te conhecer, mas tenho que aceitar,
(I can forget about myself,
Trying to be everybody else)
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá.
(I feel all right that we can go away)
Pode ser a eternidade má,
(And please my day)
Eu ando sempre pra sentir vontade.
(I’ll let you stay with me if you surrender).

 

[Janta – Marcelo Camelo]

 

eU VEJO CORES EM VOCÊ

quarta-feira, novembro 21, 2012

Eu preciso de tinta. Preciso de pincéis e uma escada.

Melhor, cancela a escada, eu posso voar.

Azul, verde, vermelho, amarelo, violeta, azul, azul, azul.

Vou pintar o teto do meu quarto, vou encher de formas e de círculos.

Pontinhos, sorrisos e sinais.

Não quero nada pontiagudo, nada que fossa ferir ou cortar, eu quero ciclos infinitos.

A única coisa simétrica vai ser meu nome junto do teu.

Acordar e ver um arco-íris.

Adormecer vendo o nosso amor.